“A favela ganhou voz”, diz Igor Kannário que arrastou multidão sem cordas

Cerca de 50 mil pessoas respondem ao chamado de Igor Kannário e lotam o circuito do Campo Grande. A Polícia Militar reforçou a segurança para garantir a tranquilidade no desfile

A tão aguardada participação de Igor Kannário no  Carnaval, sem cordas, atraiu cerca de 50 mil pessoas ao Campo Grande na tarde de segunda-feira. A multidão delirou quando o “príncipe do gueto” entoou sucessos como Lá Vem a Zorra (“Eu não sou de baixar a cabeça pra ninguém”) e a candidata à música do Carnaval, Tudo Nosso, Nada Deles.
Vestido de branco, cantor pede paz e canta sucessos como Tudo Nosso, Nada Deles e Lá Vem a Zorra (Foto: Marina Silva)

Vestido de branco, cantor pede paz e canta sucessos como Tudo Nosso, Nada Deles e Lá Vem a Zorra (Foto: Marina Silva)

“Ele escolheu a dedo o que ia cantar. Tudo tinha um significado especial porque ele quis contar sua história através do repertório”, revelou a empresária do cantor, Luci Bonfim. Antes do desfile, Kannário fez questão de ir ao comando da Polícia Militar agradecer o apoio. “Ele se sentiu mais à vontade porque sabia que a polícia estava com ele”, disse.

ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA DE CARNAVAL

Mas diante do assédio do público, Kannário precisou de escolta da Guarda Municipal para chegar ao trio elétrico. No início do percurso, ao passar pelos camarotes da prefeitura e do governo do estado, Kannário disse que “a favela ganhou voz” e agradeceu a chance. “Me sinto abençoado, vou ser um ser humano melhor”, garantiu.

O cantor puxou o trio elétrico Feroz, mas foi com um discurso de paz que avançou pelo Circuito Osmar. “Esse barril é do bem”, disse. A cada transversal, ia identificando os bairros dos fãs, muitos com faixas e cartazes de apoio.  O desfile, que deveria terminar na Praça Castro Alves, foi  até a Rua Carlos Gomes e encerrou com uma oração.

“Esse foi um dos momentos mais importantes do Carnaval. Ver tanta gente reunida num trio independente e o mais bacana é que Igor Kannário veio para a avenida passando uma mensagem de paz”, avaliou o prefeito ACM Neto, comemorando a contestada decisão de contratar o artista,  detido  duas vezes por porte de maconha em janeiro.

Reforço
Para garantir a segurança do público, a presença policial na região do Campo Grande foi reforçada, mobilizando 500 homens. Segundo o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, a apresentação de Igor Kannário  “foi tranquila”, mas Barbosa reclamou do pouco tempo  para organizar o esquema. “Fomos avisados de Igor Kannário quatro dias antes”, declarou o secretário.

“O Carnaval tem 365 dias para ser planejado e  acrescentar uma atração quatro dias antes gera um esforço muito grande para garantir a segurança do folião”, emendou Barbosa. Procurada, a prefeitura informou que não comentaria as observações do secretário.

Agenda
Igor Kannário teve agenda cheia neste Carnaval. Antes de viver o que chamou de “momento da vida”, o cantor se apresentou em Nazaré da Mata (PE), na quinta; seguiu pelo circuito Barra/Ondina com Tomate, na sexta, e com MC Guimê e Alinne Rosa, no sábado. No domingo, cantou para cerca de 20 mil pessoas no Campo da Pronaica, em Cajazeiras. Ontem,  estava em Nova Viçosa, no Sul da Bahia.

Música
Se no Carnaval passado poucas foram as dúvidas sobre a vitória de Lepo Lepo, do Psirico, como Música do Carnaval, este ano a disputa ficou acirrada. Márcio Victor emplacou Xenhenhém, disputando a preferência do público com Gordinho Gostoso, de Neto LX, e Tudo Nosso, Nada Deles. O pagode ganhou força com sua letra direta. Lançada em setembro, no Salvador Fest, a composição de Igor Kannário, Jorginho Barbosa e Rafinha tem clipe oficial com quase 200 mil visualizações no Youtube.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *